Taxas para investir no Tesouro Direto e na Previdência são zeradas pelo Banco do Brasil



Assim como outras três importantes redes bancárias já informaram, o Banco do Brasil também decidiu zerar as taxas nos investimentos em Tesouro Direto e na previdência privada, e esta isenção das taxas está valendo desde o dia 21 de setembro de 2018.



No dia 20 de setembro o Banco do Brasil informou que tornaria isenta a taxa de custódia para investimentos no Tesouro Direto e nos papéis de renda fixa, como, por exemplo, no CRIs, CRAs e debêntures. Outros bancos que já aderiram à isenção destas taxas são: Bradesco, Santander e Itaú. Sendo o Banco do Brasil a quarta grande rede bancária a zerar as taxas para investir no Tesouro Direto. Antes dos bancos, as corretoras independentes já tinham aderido à taxa zero.

Outra taxa zerada pelo BB foi a taxa de carregamento dos planos de previdência privada. Sendo que todas estas isenções já estão válidas desde o dia 21 de setembro de 2018, no Banco do Brasil. De acordo com a rede bancária, o objetivo destas novas atitudes é deixar mais viável os custos destes produtos às novas práticas do mercado, fortalecendo o vínculo com os clientes que investem seus recursos.  Anteriormente, a cobrança da taxa de custódia do Tesouro Direto era de 0,5% por ano e nos papéis de renda fixa a taxa custava 15 reais mensais. Já os planos de previdência privada custavam entre 0,5% à 5%.




Que tal economizar com os gastos com papel e ajudar o meio ambiente?

Imprima somente o necessário
Seja econômico: alguns documentos precisam de cópia física, tais como comprovantes de pagamentos ou contratos, mas se o restante dos dados você puder armazenar em um computador, pen drive ou hd externo, melhor!