Consulte o PIS utilizando o CPF



O PIS, Programa de Integração Social, é uma contribuição social que as empresas fazem para seus contratados, porém, não pagam direto ao funcionário, mas sim, ao fundo do cidadão, e o valor é descontado do holerite do colaborador. O dinheiro desta contribuição deve ser utilizado para pagar o abono salarial e o seguro-desemprego.



É importante que os trabalhadores sempre consultem o seu PIS, para verificar se ele está sendo pago corretamente, e, uma forma fácil e rápida de fazer isso é pelo Cadastro de Pessoa Física, o CPF. Com o número do seu CPF, o profissional poderá acessar o site do INSS e verificar os benefícios e valores que já foram usados, assim como identificar algum possível erro de pagamento. O trabalhador também pode e deve verificar se a empresa na qual trabalha faz as contribuições de forma correta, ou seja, se os valores estão de acordo com o descontado no seu salário.

Utilizando o número do CPF, o profissional ainda pode simular por quanto tempo deverá contribuir para se aposentar e consultar se tem o direito de receber o abono salarial, que é destinado às pessoas que recebem até dois salários mínimos por mês. O CPF torna todo o processo de consulta do PIS mais fácil e prático para o trabalhador, já que evita que ele precise se locomover até uma agência do banco para ter estas informações. Para poder fazer esta consulta, o profissional deve, primeiro, fazer um cadastro. Para isso, basta acessar o site Meu INSS, clicar em “login”; “meu primeiro acesso”; preencher o formulário e passar as informações solicitadas. Depois, será aberta uma nova janela com a senha de acesso.

Feito isso, o trabalhador já pode fazer sua consulta do PIS, acessando o portal Meu INSS, clicando em “login”, inserindo o CPF e senha e autorizando o sistema a ter acesso aos dados CP, NIT e Nome Completo. Quem optar pelo telefone, pode ligar para 135 e solicitar a consulta do PIS pelo CPF.




Que tal economizar com os gastos com papel e ajudar o meio ambiente?

Imprima somente o necessário
Seja econômico: alguns documentos precisam de cópia física, tais como comprovantes de pagamentos ou contratos, mas se o restante dos dados você puder armazenar em um computador, pen drive ou hd externo, melhor!